Sopros da Alma: as estações de um poeta

sopros_wix.png

Sinopse (reduzida)

Dos sopros que sopramos
Um sopro da alma, um perfume, uma brisa bem sentida nos versos que se encerram todos os amores da minha vida. Das doces lembranças, só me restou uma esperança, que amanhã poderemos nos encontrar... Aqui ou além-mar, onde o vento nos levar.
E que, depois desse sopro, olhe-se por sobre o ombro com não mais que orgulho; e para frente com não mais que confiança. Em uma breve e singela dança, rodopiando por sobre a superfície da palma, que se põem a escrever palavras da alma. Palavra em que a calma se espalma, para os poetas cantarem com decoro.
Palavras são tatuadas na alma, simplificadas nos corações e bailam em meio às emoções. Nos sopros de um vento embarcações dançam nas águas, nos sopros de um poeta são lançadas palavras da alma. Como uma folha levada pelo vento, é o poeta levado pela sua inspiração.
Porque o poeta vive e respira poesia.

 

Ficha Técnica

Organização: Camila Martins
Edição: 1
Ano: 2020
Gênero: poesias
Idioma: português
Formato: impresso / 14x21cm
Páginas: 82
ISBN: 978-65-81369-06-4

 

“Todas as coisas têm o seu mistério, e a poesia é o mistério de todas as coisas.”

Federico Lorca 

 
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter

©2019 por Editora Bindi. CNPJ: 034.420.038/0001-35